SPFW N44 | RESUMO DO 2º DIA

Ansiosos para mais um resumo da SPFW? Dessa vez com os destaques do 2º dia de desfiles.

Vitorino Campos optou por uma apresentação de sua coleção na loja Pair tendo como inspiração para a coleção o álbum Araçá Azul, de Caetano Veloso. A coleção, inteiramente branca com detalhes em preto, foi desenvolvida para que as peças desconversassem entre si, bem como o álbum de Caetano foi feito, cada faixa foi feita de uma forma, sem uma linguagem musical específica. As peças vão desde alfaiataria oversized à vestidos futuristas, incluindo peças para homens e mulheres.

Patricia Bonaldi leva sua PatBo para a praia sem perder os elementos que são característicos da marca. Como ponto de partida de sua pesquisa, Patrícia volta à cultura brasileira e na passarela imprime suas experiências, mesclando o clima de resort – com materiais naturais – com exagerados bordados maximalistas. A coleção conversa entre décadas, dos anos 20 aos 90, e entre o universo rústico e a alta costura acontecem na construção de cada peça. Tem linho com jacquard, peixe que voa, palha com canutilho, cogumelos bordados a mão (com traço infantil), listras com transparências em saias balonê, rasteiras em palha, jaquetão jeans de capuz com bordados florais.

A 2DNM poderia ter apresentado apenas uma coleção casual-elaborada como muito tem pedido a moda da atualidade, porém é de se destacar que o jeans é o material-chave da marca e isso significa mais. O denim hoje é considerado um tecido nobre, onde o material é respeitado como algo que pode e deve ser sofisticado, street ou chic. Por isso com o styling que foi apresentado, trabalhando peças que transbordam qualidade, utilizando as lavagens mais claras, alternando com o branco, e com outros materiais, o denim na 2DNM alcançou o da beleza. As sobreposições que poderiam em outros tempos inspirar uma espontaneidade menos cuidada, deram lugar a jogos matemáticos de respeito ao design.

O Verão 18 da Água de Coco foi inspirado em Bali, na Indonésia. Por isso o desfile foi divido pelas estampas, evocando o cotidiano em Bali. No começo, tecidos naturais servem como base para o bloco de verde musgo com a estampa de folhagens, algo que já faz parte do universo da marca. Depois, as cores mais quentes aparecem, como amarelo e laranja em estampas lisas aplicadas em tecidos como mousseline de seda.

O que acharam das coleções?
Beijos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *